O que me faz viajar?

O simples acto de viajar, por si só, já me fervilha o sangue e me causa uma enorme sensação de felicidade, seja para uma grande cidade, para um destino de inverno ou para praias paradisíacas, o próprio arranque do motor do avião é música para os meus ouvidos. Contudo, existem destinos que simplesmente derretem o meu pequeno coração de viajante.

Impacto cultural

Ora cá está, destinos com uma herança cultural e histórica muito rica, que me permitam trazer para a realidade aquilo que passei anos a imaginar e a ver em livros. Coisas como entrar no coliseu de Roma, escalar a acrópole de Atenas, presenciar a magnitude das grandes pirâmides do Egito ou perder-me na medina de Marraquexe, com os seus cheiros, chamamentos e arquitetura tão especiais.

Ruas da medina de Marraquexe.

Há quem não goste de ir para países árabes pelas ideologias que consideramos menos corretas no ocidente, ou para países pobres porque têm um impacto negativo no “humor de férias”, mas são memórias que nos ficam eternamente presentes, que nos fazem crescer como humanos e adquirir uma melhor percepção do mundo que nos rodeia. O truque é manter a mente aberta e sermos tolerantes, porque afinal o que é correto para nós pode não ser válido para outras pessoas. E isso não tem mal nenhum, pelo contrário, é esta diversidade que nos torna tão únicos e cativantes.

Cenário idílico das ilhas Cíclades, Grécia.

Natureza em estado puro

Nada me deixa mais deslumbrado que a magnitude de uma paisagem natural, como as ondas de calor a pairar sobre os grãos-de-areia das dunas do deserto ou nadar debaixo da força da água de uma cascata perdida no meio da selva tropical.

Cascata El Limón em Samaná, República Dominicana.

Uma das experiências mais fantásticas que pude vivenciar em viagem foi fazer snorkeling no Mar Vermelho e ver aquela vida e cores incríveis, num cenário muito próximo do surreal. A foto abaixo em nada faz jus à realidade.

Recife de coral no Mar Vermelho na zona de Hurghada, Egito.

Liberdade e adrenalina

Vou admitir, sou um viciado em adrenalina. Adoro quando nem tudo acontece como planeado, quando me fazem sair da minha zona de conforto e tenho que me safar de uma maneira criativa. É por isso também que gosto tanto de organizar viagens, de me aventurar no desconhecido e de levar comigo pessoas diferentes, que me surpreendem sempre, por muito bem que já as conheça.

Parque Natural de Las Batuecas, Espanha.

A liberdade que se sente quando se está em viagem, quando estamos completamente desprovidos de âncora, a capacidade de podermos fazer o que queremos, quando queremos, sem obrigações nem preocupações, horários de trabalho ou, aquele colega chato que não gostamos. Impagável.

Termas Gellért em Budapeste, Hungria.

Sou muito versátil nas minhas viagens, amo estar deitado ao sol e nadar em águas quentinhas e transparentes, mas também aproveito para fazer excursões, atividades e integrar-me na cultura do país, pois quando viajamos estamos a investir em muito mais que um bronzeado que esmorece algumas semanas depois.

E a ti, o que te faz viajar?

Reserva já o teu próximo voo, aluga um carro e parte à descoberta ou encontra o alojamento daquele fim-de-semana prolongado há muito esperado, com a ajuda da momondo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.