Road trip pelo Sul de Itália – Salento

Salento! Imaginem-se a dizer esta palavra alto, com um sotaque de Itália e a gesticular como quando um verdadeiro italiano diz que a comida está ótima! É uma península situada na região de Puglia no sul de Itália. Para ser mais precisa e visual, fica no “tacão/salto da bota” (mais conhecido como tacco dello stivale). Esta península é banhada pelo Mar Jónico e pelo Mar Adriático.

Puglia (ou Apulia) é toda a região demarcada no mapa; Salento considera-se mais ou menos a partir de Bari.

Geralmente o Instruções para viajar investe em novos destinos mas, confessamos que Salento é um destino a repetir, por várias razões: as paisagens, as praias lindas e com água quente, as cidades, a comida… Ah! A gastronomia italiana a deixar-nos completamente apaixonados pelo Sul de Itália.

Recomendamos que, para conhecer bem esta região, que aluguem um carro como nós fizemos e, para conseguir ver e aproveitar tudo o que a região tem para dar, precisam de, no mínimo, 7 dias.

Paisagens

Irão comprovar pelas fotografias que todos os sítios que visitamos são lindos! Desde paisagem de mar a paisagem mais campestre, desde vinhas a villas enormes e perdidas nos planaltos, desde castelos a monumentos da época romana até pequenas aldeias dentro de muralhas de castelos e igrejas, basílicas e catedrais perdidas no meio das cidades. É um destino que dá para todos os gostos. Cada viajante, e dependendo do que prefere, vai ficar feliz de certeza.

Basílica de Santa Croce

Gastronomia

Itália! Preciso dizer mais? Pasta, pizza, vinho e mais pasta. Deliciei-me. Para os amantes de massas e de um bom vinho esta é a região certa para se passar uma semaninha.

Praias

Só visitamos uma praia mas… Mamma mia, que praia! Falo da água cristalina e transparente, azul turquesa (nem dá para descrever), da água quente (em Outubro!), um areal reduzido mas super limpo e com espaço para toda a gente. É tudo, incrível.

As cidades que visitámos

Ao longo dos 3 dias que lá estivemos visitámos cinco cidades. Começamos pela província de Lecce (que é a principal cidade da região de Salento). Perfeita para quem gosta de conhecer lugares com muita história, visitar igrejas, anfiteatros, praças e museus. Se ao percorrerem parecer que estão a visitar Florença, é normal, é conhecida por ser muito parecida e, alguns chamam-lhe de Florença do Sul. Aqui, recomendo que visitem:

  • Piazza Giuseppe Libertini;
  • Castelo de Carlos V;
  • Piazza Sant’Oronzo – anfiteatro romano;
  • Basílica de Santa Croce;
  • Parar para um belo almoço no restaurante Enogastronomia Povero;
  • Piazza Del Duomo – Catedral de Lecce (incluindo a Cripta), museu de arte sacra e capelas (apenas 5€).
Piazza del Duomo

Em Lecce há muito para ver mas a verdade é que nos alongámos muito no almoço e na pausa da tarde para um gelado e quando demos pela hora, estávamos quase no final da tarde. Decidimos então ver o pôr-do-sol e jantar em Porto Cesareo. É uma cidade que, na nossa pesquisa, apuramos como sendo um sítio onde teríamos dos melhores bares para passar um bom serão. Infelizmente quando lá chegamos já era noite (e por isso não conseguimos ver bem as praias de lá, mas pelo que pesquisamos são bem bonitas) mas conseguimos ter paisagens incríveis na viagem de carro com o pôr-do-sol e, mal chegamos, percebemos a atmosfera do local. Barcos na marginal, uma feirinha que percorremos a ver todos os artigos e finalmente encontramos o nosso restaurante. Ao almoço em Lecce a eleita foi Pasta, ao jantar a típica Pizza. O restaurante chama-se Baldi’s Pizzeria. Depois do jantar parámos num bar onde ficamos um pouco a beber uns cocktails.

Vista do restaurante em Porto Cesareo

Otranto foi outra das cidades escolhidas para visitar. Antes de chegar ao centro da cidade resolvemos parar num lugar que nos chamou à atenção quando preparávamos a viagem. Chama-se Grotta della Poesia, umas das 10 piscinas naturais mais bonitas do mundo. Um sítio espetacular para mergulhar. Viam-se turistas a saltar das partes mais altas, mas eu, como medricas que sou e a tentar manter essa fama, não me atrevi e fui pelas minhas grandes amigas … as escadas. A água é completamente transparente e consegue ver-se o fundo da gruta.

Uma pequena curiosidade: chama-se gruta da poesia porque dizia-se que uma linda princesa gostava de se banhar nas águas saudáveis da gruta. A princesa era tão bonita que assim que a notícia se espalhou, poetas viajaram de todo o sul de Itália para compor versos inspirados pela sua beleza.

Depois de umas boas horas a nadar, apanhar sol, tirar 1000 fotografias e, o resto do grupo mergulhar, partimos para o almoço no centro de Otranto. Escolhemos o restaurante Cala dei Normanni com uma esplanada mesmo em cima da água do mar. Foi o restaurante mais caro onde estivemos, pagamos aproximadamente 22€ por pessoa e algumas de nós comeram prato de marisco. De seguida, fizemos um pouco de praia e ao final da tarde passeamos pelo Castelo di Otranto onde, por dentro das suas muralhas, conseguimos encontrar ruas aconchegantes cheias de comércio e a Catedral de Otranto.

Lungomare degli Eroi – Otranto

No dia seguinte, e já a caminho do aeroporto, ainda tivemos um dia para explorar. A cidade por onde passamos de manhã foi Polignano a Mare. Como é que eu posso explicar a minha reação a este lugar? Desde há uns dois anos para cá que, pelas redes sociais, me foi aparecendo uma imagem de uma praia entre falésias e eu sempre disse que um dia iria lá. Quando parámos o carro, pelo menos eu, não estava a associar o nome da cidade ao lugar e quando vi essa praia fiquei extasiada.

Polignano a Mare

Ainda nesta cidade conseguimos visitar mais um castelo e mais uma pequena aldeia onde parámos para um brunch e, seguimos viagem para Bari. Não vou dizer que não gostei desta cidade mas, de todos os sítios que visitamos, esta não ficou no top 3. É uma cidade mais industrializada e com pouco para ver. Mesmo assim resolvemos parar na parte velha e caminhar pelas ruas típicas e visitar algumas basílicas.

Ruas da zona histórica de Bari

Passamos também por outra pequenissima aldeia entre Locorontondo, Fasano e Alberobello. Foi mesmo só de passagem que paramos para tirar umas fotografias à beira das casas típicas. Outra cidade que gostaríamos de ter ido mas já não tivemos tempo de visitar é: Ostuni.

Achamos estranho, e não sabemos se foi pela altura em que viajamos (outubro) mas a maioria das igrejas, catedrais e basílicas estavam fechadas ao público e, as que estavam abertas, grande parte cobrava entrada. Mesmo assim, conseguimos ver algumas e muito bonitas.

A nossa viagem

Viajar para Bari não fica caro. Fizemos voos Porto – Milão – Bari – Milão – Porto, alugamos carro para 6 pessoas e para o alojamento escolhemos uma villa perto de San Michele Salentino. Se alugarem villa, geralmente elas ficam situadas longe das cidades principais por isso, se não alugarem carro, é melhor o alojamento ser num hotel numa das cidades.

Tudo isto ficou por aproximadamente 300€/pessoa. Relativamente ao que gastámos por lá (compras de supermercado, recuerdos, almoços e jantares) foram, aproximadamente, mais 200€/pessoa.

É, definitivamente, um lugar para voltar e recomendámos vivamente a visita para quem quer umas férias calmas, low-cost e com sotaque italiano.

Para verem opções de alojamento podem pesquisar aqui.

Se estiverem interessados em fazer excursões organizadas têm algumas dicas aqui.

Road trip em Salento – Puglia de 27 de Setembro a 2 de Outubro de 2019
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.